Patrocínio Sob o Ponto de Vista do Patrocinador

29 06 2012

Ministrei uma aula nesta última terça-feira, 26/julho, com o tema título deste artigo, realizada pela Rede Cemec para o curso de Captação de Recursos. Fiquei muito satisfeito com o resultado, principalmente com a interatividade e a troca de experiências proporcionadas.

Procurei abordar de maneira prática quais são as principais potencialidades de Relacionamento e Negociação com o patrocinador e também explorei as demandas e Necessidades Corporativas.

Esta abordagem propõe que o gestor cultural tenha uma visão distinta de seu projeto e exercite o pensamento estratégico tal qual um Diretor de Marketing de uma grande empresa. Dentro desta visão, devem-se estabelecer quais serão os atributos importantes para aprovação dos patrocínios pela empresa.

A dinâmica foi muito importante porque os participantes tiveram condições de compreender a dificuldade em estar do “outro lado”. Como resultado, definiram alguns atributos que seriam importantes para compor sua matriz estratégica de patrocínio corporativo:

  • Foco em seus Negócios;
  • Identidade Corporativa (DNA);
  • Associação da Marca;
  • Atendimento a um Nicho de Interesse;
  • Desenvolvimento de Mercado;
  • Geração de Conteúdo;
  • Promoção de Inclusão.

Com a dinâmica concluiu-se que, atualmente, as principais necessidades corporativas estão relacionadas com o Custo x Benefício do Projeto; ROI & ROO (Return On Investiment) & (Return On Objectives); Credibilidade do Projeto e Proponente x Entrega.

Compreendeu-se que, muitas vezes, não ter o projeto de patrocínio aprovado não incorre do fato da empresa ser má ou por não querer fomentar a cultura, esporte ou meio ambiente, mas sim, que existem alguns critérios e atributos que esta empresa precisa seguir para que os projetos selecionados estejam alinhados com suas estratégias de comunicação com o mercado.

Além desta visão também se viram quais eram as principais dificuldades dos proponentes na hora de aprovar os patrocínios para seus projetos:

  • Quem decide?
  • Devo adequar o projeto?
  • Quais as contrapartidas?
  • Existe algum fluxo a ser seguido?
  • Que tipo de ferramenta pode auxiliar para a captação?

É preciso mais compreensão e uma mudança cultural para profissionalização desse segmento por ambos os lados, tanto do proponente, quanto do patrocinador.  Precisa estar claro que esta é uma ferramenta de comunicação que compõe o marketing da empresa, mas também é um mecanismo de concretização de sonhos e melhorias sociais por meio da cultura e em outros casos ligados ao esporte e meio ambiente também.

Percebo que hoje existe a preocupação e a busca da qualificação para desenvolver projetos que contenham as duas medidas e um único objetivo: o crescimento e fortalecimento do nosso país, porque país sem cultura é país sem riqueza!

Sucesso em seus projetos,

Marcelo Azevedo
Caso tenha interesse no conteúdo da aula, baixe a apresentação.





Roteiro para Elaboração de Proposta de Captação de Patrocínio

26 08 2010

Muitas vezes me perguntam qual o melhor modelo de patrocínio, ou qual seria o roteiro para preparar uma apresentação de uma proposta comercial de patrocínio e a resposta é: Não existe um modelo único.

Isso porque cada empresa tem uma estratégia diferente e um mesmo projeto terá um tipo de ação diferenciada para cada empresa, porém o produtor cultural, esportivo ou de negócios tem que ter um modelo padrão de PROPOSTA DE CAPTAÇÃO PATROCÍNIO para apresentar as empresas e defender seu projeto da maneira mais profissional e adequada, porque a apresentação da proposta é a Chave do Sucesso.

Uma das principais patrocinadoras do país é a Petrobrás e eles são muito exigentes com as informações necessárias para análise dos projetos a serem patrocinados, por esse motivo a escolhi como modelo para apresentar uma opção inicial para você desenvolver seu próprio projeto e PROPOSTA DE CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO.

Espero que as informações abaixo auxiliem de alguma maneira e sucesso com seu projeto !

Marcelo Azevedo


******************************************************
APRESENTAÇÃO

A apresentação é uma das partes mais importantes na elaboração do projeto. É por meio dela que a Comissão de Seleção do Programa Petrobras Cultural poderá entender – de forma rápida e objetiva – a proposta integral do projeto. Seja claro e objetivo, incluindo apenas as informações essenciais ao seu entendimento.
Descreva de modo sucinto o histórico, o objetivo geral, as atividades previstas, os resultados esperados e o valor do investimento solicitado. Concentre-se em descrever o conteúdo específico do projeto, evitando dissertar sobre as referências teóricas e conceituais que lhe dão suporte.
No caso de projeto de Turnê de Shows/ Concertos, informe o número de apresentações.
No caso de projeto de Aprimoramento de Websites, inclua o tempo de vida do website em questão.
É fundamental destacar os resultados concretos a serem obtidos com a execução do projeto.
Isso ajuda a situar a Comissão de Seleção quanto às dimensões e ao potencial do projeto.
OBJETIVOS

O proponente deverá informar, de maneira clara e sucinta, o que pretende realizar, além de expressar o(s) resultado(s) que espera atingir, o(s) produto(s) final(is), o período e local da realização.
É importante deixar claro como os objetivos do projeto se ajustam às exigências estabelecidas no regulamento da Área de Seleção Pública pretendida. (ver item “Projetos” no Regulamento). Caso o projeto tenha mais de um objetivo, mencione todos.
Exemplo:
Objetivo geral:
  • Realizar festival de filmes de curta-metragem, durante 5 (cinco) dias, na cidade do Rio de Janeiro, com foco no público adolescente.
Objetivos específicos:
  • Realizar mostra de filmes de curta-metragem em 5 (cinco) salas.
  • Realizar palestras com diretores dos filmes.

APRESENTAÇÃO

A apresentação é uma das partes mais importantes na elaboração do projeto. É por meio delaque a Comissão de Seleção do Programa Petrobras Cultural poderá entender – de formarápida e objetiva – a proposta integral do projeto. Seja claro e objetivo, incluindo apenas asinformações essenciais ao seu entendimento.Descreva de modo sucinto o histórico, o objetivo geral, as atividades previstas, osresultados esperados e o valor do investimento solicitado. Concentre-se em descrever oconteúdo específico do projeto, evitando dissertar sobre as referências teóricas e conceituaisque lhe dão suporte.No caso de projeto de Turnê de Shows/ Concertos, informe o número de apresentações.No caso de projeto de Aprimoramento de Websites, inclua o tempo de vida do website emquestão.É fundamental destacar os resultados concretos a serem obtidos com a execução do projeto.Isso ajuda a situar a Comissão de Seleção quanto às dimensões e ao potencial do projeto.OBJETIVOSO proponente deverá informar, de maneira clara e sucinta, o que pretende realizar, além deexpressar o(s) resultado(s) que espera atingir, o(s) produto(s) final(is), o período e local darealização.É importante deixar claro como os objetivos do projeto se ajustam às exigências estabelecidasno regulamento da Área de Seleção Pública pretendida. (ver item “Projetos” no Regulamento).Caso o projeto tenha mais de um objetivo, mencione todos.

Exemplo:

Objetivo geral:

Realizar festival de filmes de curta-metragem, durante 5 (cinco) dias, na cidade do Rio deJaneiro, com foco no público adolescente.

Objetivos específicos:

  • Realizar mostra de filmes de curta-metragem em 5 (cinco) salas.
  • Realizar palestras com diretores dos filmes.
  • Lançar Fórum Virtual de Curtas-metragens.

JUSTIFICATIVA

Neste item o proponente deverá elaborar a justificativa visando responder às seguintes

questões:

  • Por que tomou a iniciativa de realizar o projeto?
  • Que circunstâncias favorecem sua execução?
  • Como o projeto atende aos critérios de seleção e qualificação estabelecidos para a Área de
  • Seleção Pública pretendida? (ver item “Critérios de análise dos projetos” no Regulamento)
  • Qual o diferencial do projeto? (ineditismo, pioneirismo, resgate histórico etc.)

SINOPSE

Campo específico para projetos do Setor Audiovisual: apresentação concisa do conteúdo do

filme proposto.

ESTRATÉGIAS DE AÇÃO (MEMORIAL DESCRITIVO)

Este campo refere-se ao detalhamento das etapas de trabalho. Enumere e descreva as atividades necessárias para atingir o(s) objetivo(s) desejado(s) e explique como pretende desenvolvê-las.

Observação: Não use planilhas Excel ou tabelas. O aplicativo trabalha apenas com texto corrido.

Uma boa estratégia de ação é aquela que:

  • demonstra a capacidade do proponente de viabilizar o projeto;
  • detalha os objetivos e mostra claramente as etapas da realização;
  • prevê o tempo de duração de cada etapa;
  • relaciona e descreve as parcerias (institucionais: órgãos públicos, fundações e instituições;
  • promocionais: veículos de comunicação associados; e empresariais: apoio e colaboração em recursos humanos, materiais ou financeiros);
  • demonstra coerência com o orçamento; e
  • destaca as ações que não serão subsidiadas pelo Programa Petrobras Cultural, mas que são importantes para a compreensão geral do projeto. Neste caso, é necessário indicar como essas ações serão custeadas, conforme a coluna 9 do orçamento físico-financeiro.

PREVISÃO DE DURAÇÃO DO PROJETO

Informe a data prevista para início e término do projeto, considerando todas as suas etapas. O detalhamento do período de realização do projeto deve ser apresentado no anexo obrigatório “Cronograma”, conforme o modelo sugerido abaixo.
Anexo Obrigatório: Cronograma
O cronograma deverá ser elaborado conforme o modelo sugerido neste Roteiro e anexado em formato PDF.
O cronograma constitui instrumento essencial de gestão e, por isso, deve ser elaborado com critério. Relacione as principais atividades do projeto – de acordo com o campo “ESTRATÉGIAS DE AÇÃO (MEMORIAL DESCRITIVO)” –, indicando os prazos de realização de cada uma delas. Leve em consideração o prazo máximo de execução do projeto descrito no Regulamento Específico de sua Área de Seleção Pública. Use o mês como unidade.
Modelo sugerido:
Etapas Atividades Jan Fev Mar Abr
1 PRÉ-PRODUÇÃO / PREPARAÇÃO. X
2 PRODUÇÃO / EXECUÇÃO X
X
3 DIVULGAÇÃO / COMERCIALIZAÇÃO
X X
4 CUSTOS ADMINISTRATIVOS
X X X
5 IMPOSTOS/RECOLHIMENTOS
X X
6 ELABORAÇÃO / AGENCIAMENTO
X
PERIODICIDADE DO EVENTO
Informe qual é a periodicidade do evento (de quanto em quanto tempo ele é realizado). Campo exclusivo da Área “Eventos de artes eletrônicas e cultura digital”.
PLANO DE DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS CULTURAIS
Indique a tiragem dos produtos gerados pelo projeto, tais como discos, livros, jornais, vídeos, CD-ROM, catálogos etc. Em caso de espetáculos, shows, exposições, festivais e outros eventos, informe o número e previsão de valor dos ingressos e/ou o público estimado.
Informe se os produtos serão comercializados e/ou se haverá distribuição gratuita. Em caso de distribuição gratuita, informe os beneficiados.
Indique o percentual de distribuição comercial (discriminar a quantidade e o valor pretendido), o percentual de distribuição gratuita (discriminar a quantidade e a destinação) e o percentual para o patrocinador (até 10% [dez por cento]) etc.
Informe o perfil do público estimado: faixa etária, camada social, gênero, localização geográfica e outras informações pertinentes.
PLANO DE DIVULGAÇÃO, COMUNICAÇÃO E CONTRAPARTIDAS
Este módulo refere-se às formas de comunicação e divulgação do projeto para o público em geral, com detalhamento de suas contrapartidas.
Divulgação e Comunicação
Indique as ações e os materiais de divulgação do projeto previstos, com suas respectivas especificações e quantidades.
Exemplo: banners 1m x 2m em lona, com impressão em 4/0 cores; convites em tamanho postal, papel couchê 4/2 cores; cartazes em couchê brilho 180g, 4 cores; site; assessoria de imprensa; veiculação na mídia impressa (4 anúncios ½ página, cor, segundo caderno O Globo), eletrônica (1.000 impressões banner no portal Terra) e digital (envio de cinco mil newsletters); ações promocionais (descrição das ações) etc.
Contrapartidas
Indique as contrapartidas do projeto:
1. Institucionais: formas de aplicação das logomarcas dos parceiros nos materiais de divulgação, compromisso de mencionar as parcerias nos materiais de divulgação para a imprensa e entrevistas concedidas. Exemplo: fazer figurar a logomarca da Petrobras em todo material promocional e publicitário relativo ao projeto e notas de imprensa.
2. Estruturais: iniciativas de impacto social, de formação de público e reflexão. Exemplo: capacitação de jovens para a produção cultural, geração de oportunidade de trabalho para comunidades de baixa renda etc.
3. Compensatórias: iniciativas que promovam a democratização do acesso aos bens culturais resultantes do projeto. Exemplo: permitir acesso gratuito ou a preços populares para portadores de necessidades especiais, portadores de doenças crônicas graves,
idosos, estudantes de escolas públicas.
Observações:
Informe quantas empresas/instituições participarão do projeto e sob quais chancelas e categorias (ex: patrocínio, apoio, realização, parceria etc.). Indique as contrapartidas oferecidas para essas empresas/instituições em cada categoria de participação.
Para o correto preenchimento deste campo, consulte o item “Retorno Institucional” nos Regulamentos Geral e Específico de cada área.
RELAÇÃO DOS DIRETORES
Campo específico para projetos do Setor Audiovisual: informe o nome e o nome artístico do(s) diretor(es), bem como o estado (UF).
EQUIPE TÉCNICA

Informe o nome, a função no projeto, a experiência profissional e a formação da equipe técnica envolvida no projeto.
Campo não existente nas áreas dos setores Literatura e Audiovisual.
IDENTIFICAÇÃO DE ARTISTAS
Informe o nome, o nome artístico e o currículo dos artistas participantes do projeto. Campo exclusivo das áreas dos setores Música e Artes Cênicas (exceto Manutenção de grupos, companhias de circo e trupes circenses).
RELAÇÃO DE CD´S GRAVADOS

Campo específico para projetos do Setor Música: preencha neste campo o(s) título(s) do(s) CD(s), o ano em que foi(ram) editado(s) e a(s) empresa(s) gravadora(s).
RELAÇÃO DE LIVROS PUBLICADOS PELO AUTOR

Campo específico para projetos do Setor Literatura: preencha neste campo o(s) título(s) do(s) livro(s), local de publicação, editora, data, número de páginas, categoria (ficção, poesia etc.) e ISBN.
PROJETO APROVADO NA LEI DE INCENTIVO
Este campo somente deverá ser preenchido caso o projeto já esteja aprovado na Lei Federal de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet ou Lei do Audiovisual, conforme o projeto – com a respectiva publicação no Diário Oficial da União. Neste caso, informe o número do Pronac (ou Salic, no caso da Ancine), a data de publicação no Diário Oficial da União e o mecanismo de apoio (Artigo 1°-A, 18, ou 26).
Para efeito desta edição, o PPC não exigirá, no momento da inscrição dos projetos, a inscrição ou aprovação prévia do projeto em Lei de Incentivo, exceto no Setor Audiovisual, em que os projetos de longa-metragem (produção e difusão) já deverão estar inscritos na Lei do Audiovisual no momento da inscrição no PPC PROJETO INSCRITO EM EDIÇÕES ANTERIORES DO PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL
Informe se o projeto que está sendo inscrito já foi apresentado em edições anteriores do Programa Petrobras Cultural, discriminando se na Edição 2003, 2004/2005, 2005/2006, 2006/2007, 2007/2008 (Festivais de Cinema), 2008/2009.
PROJETO CONTEMPLADO EM EDIÇÕES ANTERIORES DO PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL
Informe se o projeto que está sendo inscrito já foi contemplado em edições anteriores do Programa Petrobras Cultural, discriminando se na Edição 2003, 2004/2005, 2005/2006, 2006/2007, 2007/2008 (Festivais de Cinema), 2008/2009. Informe os resultados obtidos.
ABRANGÊNCIA
Selecione o(s) estado(s) onde o projeto será realizado.
LOCAL DE FILMAGEM
Campo específico para projetos do Setor Audiovisual. Selecione o(s) estado(s) onde será realizada a filmagem.
ORÇAMENTO
Neste campo do formulário devem ser informados os subtotais correspondentes a cada fase do projeto (Pré-produção/Preparação, Produção/Execução, Divulgação/Comercialização, Custos Administrativos, Impostos/Seguros, Elaboração, Agenciamento e totais), conforme apresentados de forma mais detalhada no anexo obrigatório “Orçamento físico-financeiro”. Os valores aqui inseridos devem coincidir com os apresentados em tal anexo, e devem ser referentes ao projeto como um todo, incluindo os valores solicitados à Petrobras e também os valores a serem patrocinados por outras fontes.
No caso da Área “Criação Literária: Ficção e Poesia”, além de não ser exigida a apresentação do anexo ”Orçamento físico-financeiro”, os campos deste item no formulário já vêm preenchidos com a indicação da distribuição dos valores nos projetos, com um prazo estimado de 10 (dez) meses.
Anexo Obrigatório: Orçamento Físico-Financeiro
Observação:. Este anexo não é exigido para os projetos inscritos na Área “Criação Literária: Ficção e Poesia”.
O orçamento físico-financeiro deverá ser elaborado conforme o modelo apresentado neste Roteiro de Elaboração de Projetos e deverá ser anexado ao formulário de inscrição em formato PDF.
O orçamento físico-financeiro deverá refletir e detalhar os valores das etapas de trabalho descritas na estratégia de ação, considerando a incidência de todas as tributações previstas em lei, inclusive as trabalhistas e de direitos autorais.
Inclua um cabeçalho com o título do projeto, nome do proponente e CPF ou CNPJ do proponente na parte superior da planilha do orçamento físico-financeiro, conforme o modelo apresentado.
No caso do Setor Artes Cênicas, será necessário apresentar duas planilhas de orçamento físico-financeiro: Etapa 1 e Etapa 2. Ver mais detalhes nos Regulamentos específicos das áreas.
Atenção: O orçamento físico-financeiro deverá demonstrar com clareza quais itens serão financiados com os recursos do patrocínio da Petrobras, e quais itens serão financiados com recursos de outras fontes. (Coluna 9 – “Fontes de Captação” do modelo sugerido)
Modelo sugerido
Título do projeto:
Nome do proponente:
CPF/CNPJ do proponente:
Início Término
1
2
3
4
5
6
Elaboração
Agenciamento
VALOR SOLICITADO A PETROBRAS
VALOR SOLICITADO A OUTRAS FONTES
TOTAL DE ELABORAÇÃO E AGENCIAMENTO
VALOR TOTAL DO PROJETO (somatório de 1 a 6)
ELABORAÇÃO/AGENCIAMENTO
SUBTOTAL 1 A 5
IMPOSTOS/RECOLHIMENTOS
TOTAL DE IMPOSTOS/ RECOLHIMENTOS
CUSTOS ADMINISTRATIVOS
TOTAL DE CUSTOS ADMINISTRATIVOS
DIVULGAÇÃO/ COMERCIALIZAÇÃO
TOTAL DE DIVULGAÇÃO/ COMERCIALIZAÇÃO
TOTAL DE PRODUÇÃO/ EXECUÇÃO
TOTAL DE PRÉ-PRODUÇÃO/ PREPARAÇÃO
PRODUÇÃO/ EXECUÇÃO
9 – Fonte de
captação
10 – Prazo de
PRÉ-PRODUÇÃO/ PREPARAÇÃO
5- Quantidade de unidades 6- Valor Unitário 7- Total da linha 8- Total 1- Etapas/ fases 2- Descrição das etapas/fases 3- Quantidade 4- Unidade Descrição das colunas do modelo de orçamento físico-financeiro:
1. Etapas/ fases – Numerar sequencialmente as etapas/ fases.
2. Descrição das etapas/fases – Indicar o item ou serviço que será contratado/utilizado, com base nas atividades, profissionais, serviços, equipamentos e materiais usualmente previstos em projetos culturais. Preencha apenas aquelas que são necessárias à execução do seu projeto.
3. Quantidade – Indicar, nesta coluna, o número de itens descritos em cada linha da coluna 2. (Ex: 20, 2, 30 etc.)
4. Unidade – Indicar a unidade de medida. Deve ser um indicador de como se mensura o material ou serviço a ser empregado para a realização de cada um dos itens das atividades descritas. (Ex: lata, metro, dias, semanas, meses, km etc.)
5. Quantidade de unidades – Indicar quantas vezes serão utilizadas as unidades (coluna 4) de despesas necessárias à realização do projeto. (Ex: 4, 2, 3 etc.)
6. Valor unitário – Indicar o valor unitário de cada item de despesa, em reais. (Ex: R$ 300,00, R$ 120,00 etc.)
7. Total da linha – Multiplicar a quantidade (coluna 3) pela quantidade de unidades (coluna 5) e este resultado pelo valor unitário (coluna 6).
8. Total – Somatório dos subitens da Descrição das etapas/fases.f
9. Fonte de captação – Informar qual a fonte de captação da etapa/fase. (Ex: Petrobras ou outras fontes.)
10. Prazo de duração – Especificar data de início e término de realização do item.
Fonte: Petrobrás




Brasil tem R$ 17,6 bilhões para empresas inovadoras

21 07 2010

Captar recursos para investir em Pesquisa & Desenvolvimento para a Inovação (P&D&I) não é uma tarefa fácil. De acordo com dados da Associação Brasileira de Venture Capital e Private Equity – ABVCAP, o Brasil conta, atualmente, com cerca de 10 bilhões de dólares, cerca de R$ 17,6 bi, disponíveis para o incentivo de projetos inovadores. O problema é que, segundo especialistas, este dinheiro não chega às mãos de empresas nascentes ou das micro e pequenas empresas (MPE’s) por falta de conhecimento dos caminhos ou da existência destes recursos.

Pensando em contribuir com a melhoria deste cenário, o Sistema Fiep criou o Núcleo de Capital Inovador. De acordo com o gestor deste núcleo, Wikings Marcelo Machado, o objetivo é auxiliar as empresas paranaenses de todos os portes, e que tenham potencial inovador, a captar estes recursos. “É preciso informar às empresas sobre as linhas de recurso existente para inovação, e sua forma de captação, além de representar as empresas junto a fundos de investimento e órgãos de fomento”.

Como funciona

O Núcleo de Capital Inovador atua no monitoramento de oportunidades de fomento para cada tipo de negócio das empresas participantes do programa. Com base em um amplo estudo de cada organização, os consultores ajudam na elaboração de projetos e no agenciamento para a captação de recursos, na transferência de conhecimento sobre fomentos, na construção de planos de negócios para apresentar aos possíveis investidores e na representação da indústria e sindicatos junto aos órgãos de fomento.

Vale do Silício – EUA

Um bom exemplo de comportamento investidor para a inovação vem do Vale do Silício, no estado da Califórnia, EUA. A região, povoada por empresas, foi criada nos anos 1950 com o objetivo de criar inovações científicas e tecnológicas. A ideia contou com o total apoio de investidores “pessoa física”, chamadas de “investidores anjos”. Pessoas que não são, obrigatoriamente, empresários, mas que apostam em inovações. “Nos EUA as pessoas investem em empresas inovadoras com muito mais facilidade, mesmo que estas empresas ainda não passem de uma ideia.”, comenta Wikings Machado ao comparar o comportamento do investidor brasileiro. “No Brasil, o investimento em empresas nascentes por meio de investidores anjo e fundos de capital semente ainda é algo incipiente e que tem muito a evoluir”.

Um dos diferenciais do Núcleo é o auxilio as empresas paranaenses de pequeno e médio porte na elaboração de planos de negócios. Segundo Wikings, os jovens empreendedores brasileiros têm dificuldade ou não sabem como construir este tipo de planejamento, o que afeta a aproximação aos investidores. “Nos EUA, um aluno do primeiro ano de engenharia já sabe montar um bom plano de negócio”.

Mesmo com algumas dificuldades enfrentadas em processos de captação de recursos, o Brasil, e mais especificamente, o estado do Paraná é referência em inovação. Empresas de diversos segmentos têm buscado, cada vez mais, auxilio para facilitar o caminho da Pesquisa & Desenvolvimento em Inovação. Desde que o Núcleo foi criado, doze empresas paranaenses já foram atendidas. “Isso mostra que o Paraná tem um grande potencial inovador e que conta com empreendedores preocupados em investir”.

O Núcleo de Capital Inovador do C2i irá promover uma série de palestras de sensibilização, além de cursos voltados ao entendimento de fomentos e inovação em todo o estado. As empresas interessadas em participar ou obter mais informações, podem entrar em contato com o gestor do Núcleo pelo e-mail wikings.machado@pr.senai.br ou pelo telefone (41) 3271-7811.





De onde Surgiu o Patrocínio?

1 06 2009

Todos nós temos contato com o patrocínio desde pequenos, mas não damos conta do quanto essa palavra é importante para conquistarmos nossos “projetos” de vida.

Lembra quando você ainda era criança e queria ir naquela excursão da escola. Pois é, você não trabalhava, logo seu primeiro patrocínador eram seus PAIS ! Como funcionava para você conseguir a aprovação do projeto?

Projeto: Excursão da Escola

Possíveis Patrocínadores: Pai, Mãe, Padrinho(a), Tio(a), Vô(ó)

Contrapartidas oferecidas pelo organizador:

1 – Boas Notas

2 – Bom comportamento

3- Cumprir com todos os horários

4- Ajudar com as tarefas de casa

5- Não brigar com os irmãos

 Após um periodo de análise das contrapartidas sugeridas para o patrocinador, você tinha a informação sobre a aprovação ou não do seu projeto.

 Nosso blog tem como objetivo esclarecer e compartilhar informações sobre projetos de patrocínio, seus impactos e benefícios tanto para o patrocinado como para o patrocínador.

Seja bem vindo!

Marcelo Azevedo = P$








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 442 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: